Ego

O que impele esses humanos nessa direção? Será um instinto secreto de seu próprio ego pérfido, vulgar, de amesquinhar o próximo?

Será uma perspicácia pessimista ou a desconfiança de idealistas desiludidos e tristes, tornados venenosos, ou talvez uma hostilidade e um rancor subterrâneo, contra o próximo, que deveria ter ficado na primeira reflexão, no fundo da terra…

Talvez esse próximo sequer interfira, muito pelo contrário, defenda, ele pode saber que é por falta de conhecimento e ignorância esse contraditório.

Não passa de velhos ensinamentos que rodeiam em torno de um manto escuro que cobre o homem da cabeça até os pés, e quando, esse manto cair, verão quão injustos foram.

Diante desses, existem muitos, dignos, benevolentes e historiadores de uma verdadeira moral e dignidade.

Todavia, esperava na “vis inertiae”, do habito ritualístico sem cegas ideias, mas que infelizmente para alguns é um habito passivo, automático, revelando-se assim, o reflexo de um ser pobre, que não tem nada a oferecer, a não ser, magoa, rancor e ódio, esquecendo que para ter força e beleza antes precisa ter sabedoria…

Quantos discursos proferidos, quantas lutas idealistas, quanto combate entre o saber e o saber…

Quando pensei estar falando para uma multidão, me dei conta, que estava falando sozinho, falando e vendo meu reflexo no espelho…

Quero que se repita as Saturnálias, não pelo fato de poder trocar presentes, mas sim pela concessão de liberdade a escravos, hoje já não escravizados fisicamente, mas mentalmente pela falta de saber.

Eu não diria somente o que estamos fazendo com nossas vidas, o que estamos fazendo para as vidas futuras, mas o posto iluminado por archotes de Agamenon só salta de altura em altura…

Continuarei em combate pelo o que acredito, não sei os outros, respondo por mim, isso faz com que minha vida tenha sentido.

Antes que a morte me visite, quero ter certeza de uma coisa boa que tenha feito, não que eu me arrependa dos erros, errei por tentar. Errar não é triste, triste é não tentar por medo de errar.

Não julgue a razão do outro, pois ele tem razão, tão pouco o outro pode julgar a sua, porque você também tem razão. Na verdade não se combate razão por razão.

O que deveríamos fazer é uma reflexão sobre as diversas razões…

Antonio Vilmar Gravuni

Receba gratuitamente o Ebook Maçonaria ao Alcance de Todos e o boletim semanal de atualizações sobre a Maçonaria Brasileira

1 Comment

  1. REGI MARCIO SANTOS

    Qual é a sua Marca? O que tem feito ou o que está fazendo para que quando aqui não estiver mais, seus exemplos sejam seguidos ou você seja ao menos alembrado por ter realizado bons atos e boas ações. Talvez o mais pesado hoje é saber o que é bons atos e boas ações.

    Um TFA a todos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

fifteen − thirteen =